Sobe para 76 o número de casos de coronavírus na Bahia

Treze novos casos foram registrados pela Sesab e anunciado pela pasta na manhã desta terça-feira (24). Nove deles são em Salvador; três pacientes não moram na Bahia.

A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) confirmou mais 13 casos de contaminação por coronavírus no estado, na manhã desta terça-feira (24). Com isso, o total de casos confirmados no estado sobe para 76.

De acordo com a Sesab, todos os casos novos foram importados ou de transmissão local. A pasta ainda informou que 725 casos foram descartados e não há óbitos registrados.

Dos 13 novos casos, nove foram registrados em Salvador. Três deles são de pacientes que estão na capital baiana, mas não residem na Bahia. Um mora no Rio Grande do Norte, outro em São Paulo e um em Miami (EUA), informou a Sesab.

Em Juazeiro, no norte da Bahia, teve um caso novo, totalizado dois pacientes com o novo coronavírus no município.

Já as cidades que apresentaram os primeiros casos, conforme apontado no boletim desta terça-feira, são: Alagoinhas, Conde e Teixeira de Freitas.

Os municípios com casos positivos são: Alagoinhas (1); Barreiras (1); Brumado (1); Camaçari (1); Conceição do Jacuípe (1); Conde (1 – paciente reside em Campinas, em São Paulo); Feira de Santana (6); Itabuna (1); Jequié (1); Juazeiro (2); Lauro de Freitas (3); Porto Seguro (8); Prado (2); Salvador (46, sendo três pacientes residentes em localidades fora da Bahia); e Teixeira de Freitas (1).

A Sesab ressalta que os números são dinâmicos e na medida em que as investigações clínicas e epidemiológicas avançam, os casos são reavaliados, sendo passíveis de reenquadramento na sua classificação.

O diagnóstico positivo para o novo coronavírus pode cursar com grau leve, moderado ou grave. A depender da situação clínica, pode ser atendido em unidades primárias de atenção básica, unidades secundárias ou precisar de internação. Mesmo definindo unidades de referência, não significa que ele só pode ser atendido em hospital.

Os casos graves devem ser encaminhados a um hospital de referência para isolamento e tratamento. Os casos leves devem ser acompanhados pela Atenção Primária em Saúde (APS) e instituídas medidas de precaução domiciliar.

Por: Jôsy Souza/Mídia Regional

ASCOM

Please follow and like us:
Tweet 20
fb-share-icon20