Aposentadoria do INSS vai subir em 2020 com reajuste salarial do teto

Aposentadoria do INSS vai subir em 2020 com reajuste salarial do teto. Um assunto que vem chamando muita atenção nos últimos dias é o aumento do salário mínimo que gera um impacto significativo na vida de milhões de brasileiros, principalmente, dos aposentados, pensionistas e outros beneficiários do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), que devem receber um reajuste, previsto para ter início no próximo dia 1º de janeiro de 2020.

Essa com certeza é uma boa notícia. Apesar de não ser um valor tão grande assim, mas com certeza vai ajudar no orçamento da família.

Quem ganha acima de um salário mínimo terá um reajuste de 4,2% sobre o valor atual, que é de R$ 998. O teto do INSS também terá um aumento. O índice usado para reajustar os benefícios é o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), do IBGE.

  • O salário mínimo e as aposentadorias do INSS poderão ser reajustados em 4,2% em 2020
  • O valor corresponde à expectativa do governo de Bolsonaro para a inflação deste ano
Reajuste salarial para 2020
  • O salário mínimo passará a ser R$ 1.040, porém, já atualizou esse valor e anunciou que o mínimo deve ser R$ 1 real menor, caindo para R$ 1.039
  • O piso dos benefícios da Previdência (INSS) passará a ser R$ 1.040
  • O teto dos benefícios previdenciários vai subir para R$ 6.084,71
Qual o valor da aposentadoria após o aumento do salário mínimo 2020? Veja na tabela abaixo:

Confira abaixo como ficam outros valores pagos pelo INSS com o reajuste de 4,2% em 2020 (em R$):

Benefício em 2019 que recebem: Benefício em 2020 devem passar a receber:
        R$   998            R$   1.039
        R$  1.000            R$   1.042
        R$  1.200            R$   1.250
        R$  1.400            R$   1.459
        R$  1.600            R$   1.667
        R$ 1.800            R$   1.876
        R$  2.000            R$   2.084
        R$  2.200            R$   2.292
        R$  2.400            R$   2.501
        R$  2.600            R$   2.709
        R$  2.800            R$   2.918
        R$  3.000            R$   3.126
        R$  3.200            R$   3.334
        R$  3.400            R$   3.543
        R$  3.600            R$   3.751
        R$  3.800            R$   3.960
        R$  4.000            R$   4.168
        R$  4.200            R$   4.376
        R$  4.400            R$   4.585
        R$  4.600            R$   4.793
        R$  4.800            R$   5.002
        R$  5.000            R$   5.210
        R$  5.200            R$   5.418
        R$  5.400            R$   5.627
        R$  5.600            R$   5.835
        R$  5.800             R$    6.044
        R$  5.839,45             R$    6.084
Alerta importante aos beneficiários do INSS

Segurados do INSS que recebem por meio de conta-corrente, conta poupança ou cartão magnético, devem comprovar, anualmente, que estão vivos. Isso serve para dar mais segurança ao cidadão e ao Estado brasileiro, pois evita fraudes e pagamentos indevidos de benefícios.

Como regra geral, o procedimento deverá ser realizado todos os anos pelo próprio beneficiário, na instituição bancária em que recebe seu benefício. Existem bancos que utilizam a data do aniversário da pessoa, assim como há os que convocam o beneficiário no mês anterior ao vencimento da fé de vida.

É bem simples: basta apresentar um documento de identificação com foto (carteira de identidade, carteira de trabalho, carteira nacional de habilitação e outros) a um funcionário. Algumas instituições financeiras já utilizam a tecnologia de biometria nos terminais de autoatendimento. Os bancos comunicam os segurados sobre a necessidade de realizar o procedimento por meio de mensagens informativas, disponibilizadas nos terminais eletrônicos de autoatendimento e sites na internet.

Fique atento para não ter o beneficio bloqueado!

Quem não fizer no final de 12 meses da última comprovação terá seu pagamento bloqueado. Após 6 meses sem comprovação de vida o benefício é cessado.

Por: Jôsy Souza/Mídia Regional

Fonte: ASCOM