INSS anuncia lista de novos bancos que vão pagar aposentadorias e benefícios

INSS anuncia lista de novos bancos que vão pagar aposentadorias e benefícios. Seis novos bancos privados venceram o leilão que o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) promoveu na última semana para pagar a folha de aposentados, pensionistas, entre outros benefícios.

Esses beneficiários – na maioria, aposentados e pensionistas – terão os pagamentos administrados pelos seis bancos durante 15 anos. Nesse período, os bancos poderão, por exemplo, oferecer crédito consignado para os beneficiários.

Lista de novos bancos

Participaram do leilão 23 instituições bancárias que disputaram 26 lotes. O INSS espera arrecadar dos seis vencedores R$ 24 bilhões nos próximos cinco anos.

Esses bancos são:

  • Santander
  • Crefisa
  • Agibank
  • Itaú-Unibanco,
  • BMG
  • Mercantil do Brasil

Estes bancos serão responsáveis pelos pagamentos dos beneficiários que entrarem no INSS entre 2020 e 2024.

Além de fazer o pagamento de benefícios, os bancos terão de realizar a chamada “prova de vida” dos beneficiários e também notificar as pessoas em caso de suspeita de irregularidades.

As instituições também terão que emitir, sem custo, o primeiro cartão de saque com função de débito, sem a necessidade de abertura de conta.

O INSS informou que o leilão não afeta os contratos em vigor. O pagamento dos atuais beneficiários continua sendo feito nas mesmas instituições em que eles já recebem.

O segurado não terá custos

A realização do pregão e o fato de haver uma grande arrecadação de valores para o INSS não representa qualquer custo para os beneficiários do INSS. De acordo com as regras que regularam o pregão, os custos do pagamento da folha são exclusivos das instituições pagadoras, não existindo nenhum ônus ou valor que recaia sobre o benefício concedido ao cidadão.

O valor arrecadado pelo INSS é usado para a própria manutenção dos serviços da autarquia, que com essa arrecadação poderá continuar investindo na sua modernização e na melhoria do atendimento.

Por: Jôsy Souza/Mídia Regional

Fonte: ASCOM

Saiba qual será o valor da segunda parcela do Décimo Terceiro (13º) do INSS

Saiba qual será o valor da segunda parcela do Décimo Terceiro (13º) do INSS. A segunda parcela do Décimo Terceiro (13º) do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) para aposentados e pensionistas começará a ser liberada a partir de novembro deste ano.

A primeira parcela do abono natalino já foi liberada, de forma antecipada, junto com o calendário de agosto. Inclusive, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) decidiu assinar uma Medida Provisória (MP) para tornar lei a antecipação da primeira parcela do 13º dos aposentados do INSS. A medida foi publicada no “Diário Oficial da União” e já está valendo.

Assim como a primeira parcela, a segunda também será depositada junto com a folha mensal de pagamentos do INSS. Porém, nesse caso acontecerá entre novembro e dezembro. Consulte a Tabela de Pagamentos de Benefícios disponibilizada logo abaixo.

Antes de mais nada, quem tem direito?

No total, cerca de 30 milhões de beneficiários terão direito à segunda parcela do Décimo Terceiro (13º). Tem direito ao abono quem, durante o ano, recebeu benefícios previdenciários como aposentadoria, pensão por morte, auxílio-doença, auxílio-acidente, auxílio-reclusão ou salário-maternidade.

A maioria dos aposentados e pensionista receberão o restante do valor. A exceção é para quem passou a receber o benefício depois de janeiro de 2018. Para esses beneficiários, o valor será calculado proporcionalmente.

Nos casos de quem recebe auxílio-doença e salário-maternidade, o valor do décimo (13º) será proporcional ao período recebido. Como esse benefício é temporário, o INSS calcula a antecipação proporcional ao período. Por exemplo, um benefício iniciado em janeiro e ainda em vigor em agosto terá o 13º terceiro salário calculado sobre oito meses. O segurado receberá, portanto, metade desse valor.

Em dezembro, caso ainda esteja afastado, o segurado irá receber o restante. Se tiver alta antes, o valor será calculado até o mês em que o benefício vigorar e acrescido ao último pagamento do benefício, segundo o Ministério da Fazenda.

Aqueles que recebem benefícios assistenciais (Benefício de Prestação Continuada da Lei Orgânica da Assistência Social – BPC/LOAS e Renda Mensal Vitalícia – RMV) não têm direito ao abono anual.

Qual o valor da segunda parcela do décimo terceiro (13ª) salário do INSS?

A segunda parcela do 13ª salário dos aposentados, pensionistas e beneficiários do INSS, que será pago na folha de novembro, é diferente da primeira parcela, para alguns segurados, pois é quando são feitos os descontos, como do Imposto de Renda. Aposentados e pensionistas pagam menos IR a partir dos 65 anos.

Existe uma parcela extra de isenção, de modo que somente a renda acima de R$ 3.807,96 entram na tributação. Essa vantagem só vale para o dinheiro pago pelo INSS. Quem tem outras rendas pode ter imposto a recolher.

Veja qual será o valor das duas parcelas, de acordo com o benefício (valores em R$):
Valor da aposentadoria Parcela paga a partir do dia 25 para segurados de todas as idades Parcela paga a partir de novembro para quem tem até 64 anos  Parcela paga a partir de novembro para quem tem a partir de 65 anos
998 499 499                                   499
1.000 500 500                                   500
1.100 550 550                                   550
1.200 600 600                                   600
1.300 650 650                                   650
1.400 700 700                                   700
1.500 750 750                                   750
1.600 800 800                                   800
1.700 850 850                                   850
1.800 900 900                                   900
1.900 950 950                                   950
2.000 1.000 992,80                                 1.000
2.100 1.050 1.035,30                                 1.050
2.200 1.100 1.077,80                                 1.100
2.300 1.150 1.120,30                                 1.150
2.400 1.200 1.162,80                                 1.200
2.500 1.250 1.205,30                                 1.250
2.600 1.300 1.247,80                                 1.300
2.700 1.350 1.290,30                                 1.350
2.800 1.400 1.332,80                                 1.400
2.900 1.450 1.369,80                                 1.450
3.000 1.500 1.404,80                                 1.500
3.100 1.550 1.439,80                                 1.550
3.200 1.600 1.474,80                                 1.600
3.300 1.650 1.509,80                                 1.650
3.400 1.700 1.544,80                                 1.700
3.500 1.750 1.579,80                                 1.750
3.600 1.800 1.614,80                                 1.800
3.700 1.850 1.649,80                                 1.850
3.800 1.900 1.681,13                                 1.900
3.900 1.950 1.708,63                            1.943,10
4.000 2.000 1.736,13                            1.985,60
4.100 2.050 1.763,63                            2.028,10
4.200 2.100 1.791,13                            2.070,60
4.300 2.150 1.818,63                            2.113,10
4.400 2.200 1.846,13                            2.155,60
4.500 2.250 1.873,63                            2.198,10
4.600 2.300 1.901,13                            2.240,60
4.700 2.350 1.926,86                            2.283,10
4.800 2.400 1.949,36                            2.320,40
4.900 2.450 1.971,86                            2.355,40
5.000 2.500 1.994,36                            2.390,40
5.100 2.550 2.016,86                            2.425,40
5.200 2.600 2.039,36                            2.460,40
5.300 2.650 2.061,86                            2.495,40
5.400 2.700 2.084,36                            2.530,40
5.562 2.781 2.120,81                            2.587,10
Calendário de pagamento do décimo terceiro (13º)

O dinheiro do abano anual começará a ser depositado seguindo a tabela de pagamentos do mês de novembro, para os segurados que recebem até um salário mínimo e possuem cartão com final 1, desconsiderando-se o dígito. Quem ganha acima do mínimo começa a receber a partir de dezembro.

O depósito será feito entre os dias 25 de novembro e 6 de dezembro, conforme a Tabela de Benefícios 2019. Veja abaixo:

Quem recebe até um salário mínimo (atualmente R$ 998)

1. Benefício com Final  1: crédito em 25/11

2. Benefício com Final 2: crédito em 26/11

3. Benefício com Final 3: crédito em 27/11

4. Benefício Final 4: crédito em 28/11

5. Benefício Final 5: crédito em 29/11

6. Benefício Final 6: crédito em 2/12

7. Benefício Final 7: crédito em 3/12

8. Benefício Final 8: crédito em 4/12

9. Benefício Final 9: crédito em 5/12

10. Benefício Final 0: crédito em 6/12

Quem recebe acima de um salário mínimo (mais de R$ 998)

1. Benefícios com finais 1 e 6: recebem em 2/12

2. Benefícios com finais 2 e 7: recebem em 3/12

3. Benefícios com finais 3 e 8: recebem em 4/12

4. Benefícios com finais 4 e 9: recebem em 5/12

5. Benefícios com finais 5 e 0: recebem em 6/12

Como consultar o extrato?

O extrato mensal de saques estará disponível para consulta no site Meu INSS e nos terminais de autoatendimento da rede bancária juntamente com o extrato de pagamento de benefícios da folha de agosto.

Por: Jôsy Souza/Mídia Regional

Fonte: ASCOM

Aposentadoria do INSS vai subir em 2020 com reajuste salarial do teto

Aposentadoria do INSS vai subir em 2020 com reajuste salarial do teto. Um assunto que vem chamando muita atenção nos últimos dias é o aumento do salário mínimo que gera um impacto significativo na vida de milhões de brasileiros, principalmente, dos aposentados, pensionistas e outros beneficiários do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), que devem receber um reajuste, previsto para ter início no próximo dia 1º de janeiro de 2020.

Essa com certeza é uma boa notícia. Apesar de não ser um valor tão grande assim, mas com certeza vai ajudar no orçamento da família.

Quem ganha acima de um salário mínimo terá um reajuste de 4,2% sobre o valor atual, que é de R$ 998. O teto do INSS também terá um aumento. O índice usado para reajustar os benefícios é o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), do IBGE.

  • O salário mínimo e as aposentadorias do INSS poderão ser reajustados em 4,2% em 2020
  • O valor corresponde à expectativa do governo de Bolsonaro para a inflação deste ano
Reajuste salarial para 2020
  • O salário mínimo passará a ser R$ 1.040, porém, já atualizou esse valor e anunciou que o mínimo deve ser R$ 1 real menor, caindo para R$ 1.039
  • O piso dos benefícios da Previdência (INSS) passará a ser R$ 1.040
  • O teto dos benefícios previdenciários vai subir para R$ 6.084,71
Qual o valor da aposentadoria após o aumento do salário mínimo 2020? Veja na tabela abaixo:

Confira abaixo como ficam outros valores pagos pelo INSS com o reajuste de 4,2% em 2020 (em R$):

Benefício em 2019 que recebem: Benefício em 2020 devem passar a receber:
        R$   998            R$   1.039
        R$  1.000            R$   1.042
        R$  1.200            R$   1.250
        R$  1.400            R$   1.459
        R$  1.600            R$   1.667
        R$ 1.800            R$   1.876
        R$  2.000            R$   2.084
        R$  2.200            R$   2.292
        R$  2.400            R$   2.501
        R$  2.600            R$   2.709
        R$  2.800            R$   2.918
        R$  3.000            R$   3.126
        R$  3.200            R$   3.334
        R$  3.400            R$   3.543
        R$  3.600            R$   3.751
        R$  3.800            R$   3.960
        R$  4.000            R$   4.168
        R$  4.200            R$   4.376
        R$  4.400            R$   4.585
        R$  4.600            R$   4.793
        R$  4.800            R$   5.002
        R$  5.000            R$   5.210
        R$  5.200            R$   5.418
        R$  5.400            R$   5.627
        R$  5.600            R$   5.835
        R$  5.800             R$    6.044
        R$  5.839,45             R$    6.084
Alerta importante aos beneficiários do INSS

Segurados do INSS que recebem por meio de conta-corrente, conta poupança ou cartão magnético, devem comprovar, anualmente, que estão vivos. Isso serve para dar mais segurança ao cidadão e ao Estado brasileiro, pois evita fraudes e pagamentos indevidos de benefícios.

Como regra geral, o procedimento deverá ser realizado todos os anos pelo próprio beneficiário, na instituição bancária em que recebe seu benefício. Existem bancos que utilizam a data do aniversário da pessoa, assim como há os que convocam o beneficiário no mês anterior ao vencimento da fé de vida.

É bem simples: basta apresentar um documento de identificação com foto (carteira de identidade, carteira de trabalho, carteira nacional de habilitação e outros) a um funcionário. Algumas instituições financeiras já utilizam a tecnologia de biometria nos terminais de autoatendimento. Os bancos comunicam os segurados sobre a necessidade de realizar o procedimento por meio de mensagens informativas, disponibilizadas nos terminais eletrônicos de autoatendimento e sites na internet.

Fique atento para não ter o beneficio bloqueado!

Quem não fizer no final de 12 meses da última comprovação terá seu pagamento bloqueado. Após 6 meses sem comprovação de vida o benefício é cessado.

Por: Jôsy Souza/Mídia Regional

Fonte: ASCOM