Manchas de óleo atingem 88 municípios e 233 localidades

Oitenta e oito municípios e 233 localidades foram afetados pelas manchas de óleo no litoral da Região Nordeste, segundo boletim atualizado nesta última quarta-feira pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis  ( Ibama ).

A última atualização divulgada pelo instituto havia sido divulgada há quase uma semana — na sexta-feira, 19 de outubro. O boletim aponta o crescimento de áreas afetadas no estado da Bahia. A área mais ao sul onde houve registro foi a Praia de Arakakaí, no município de Santa Cruz Cabrália, que fica a cerca de 20 quilômetros de Porto Seguro. Segundo o boletim, o óleo não foi observado novamente em uma revisita.

O Grupo de Acompanhamento e Avaliação (GAA), formado por Ibama, Marinha e Agência Nacional do Petróleo anunciou nesta terça-feira que mil toneladas de resíduos de óleo já foram recolhidos no litoral do Nordeste.

 A Marinha dividirá a investigação sobre a origem do óleo em três frentes, com apurações sobre o tráfego de navios na altura da costa brasileira, o movimento das correntes marítimas e os aspectos químicos do óleo encontrado nas praias.

A Força considera que o vazamento de petróleo pode ter ocorrido mais próximo da costa, oscilando entre 270 e 600 km. Até então, as estimativas variavam entre 600 e 800 km. A informação já foi encaminhada para as outras frentes de apuração dentro da Marinha e pode impactar na delimitação de navios colocados como suspeitos de vazamento.

 

Marinha emite alerta para ventos de 74 km/h e ondas de até 4 metros no sul da Bahia

A Marinha emitiu um alerta de mau tempo para ocorrência de ventos de 74 km/h e ondas de até 4 metros em Caravelas, cidade do sul da Bahia. O aviso é válido de sábado (6) até a segunda-feira (8).

De acordo com o G1, a formação de um sistema de baixa pressão nas proximidades da região sul pode provocar ventos de até 89 km/h entre os estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina.
Esses ventos devem perder um pouco da força e chegam ao litoral da Bahia com 74km/h. A força é suficiente para provocar ondas de direção sudoeste a sul com altura entre 3 e 4 metros no litoral.

A recomendação da Marinha é de que praticantes de esportes náuticos em geral, embarcações de esporte, recreio e pesca não naveguem em águas abertas. As agências e condutores de embarcações de transporte marítimo também devem avaliar a necessidade de interrupção do serviço.

Por: Jôsy Souza

Fonte: G1/BN